Educação alimentar infantil: 5 dicas para começar desde cedo

Qualidade de vida | DNA Planos de Saúde

Todas as mamães e papais sonham em ter filhos que comem de tudo e se alimentam de forma saudável, não é? E você sabia que é na infância que o hábito de se alimentar bem se forma? Por isso, é muito importante que, a partir dos seis meses de idade, quando os alimentos sólidos são introduzidos, os pais já comecem a criar hábitos saudáveis na hora das refeições.

A educação alimentar infantil é essencial para reduzir problemas futuros na aceitação dos alimentos pela criança, evitando que seu filho seja um adulto cheio de frescuras e que se alimenta de forma desequilibrada. Nesse artigo, iremos listar algumas dicas simples para ensinar seus filhos a comer bem desde pequenos. Confira!

Monte pratos coloridos e variados

Um prato saudável deve conter alimentos de 4 a 5 cores diferentes. Isso é importante para diversificar os nutrientes que a criança vai receber na alimentação. Esses nutrientes são de quatro categorias principais: leguminosas, proteínas, vegetais e cereais.

Outra dica importante é variar nos tipos de alimentos. É ótimo que seu filho adore comer beterraba, por exemplo, mas ela não deve ser oferecida em toda refeição, afinal, todos nós enjoamos de comer a mesma coisa todos os dias. Por isso aposte em um cardápio com rodízio de alimentos e sempre ofereça novidades.

Transforme as refeições em um momento divertido

É normal que, em algumas fases, a criança se recuse a comer ou implique com certos tipos de alimentos. E uma alternativa para isso é deixar os pratos divertidos! Um prato saudável deve ser bem colorido, certo? Nesse caso, os pais podem usar as diversas cores para formar desenhos, como carinhas ou casinhas.

Assim o prato comum de arroz, feijão, carne, verdura e legume ficará muito mais atraente e convidativo. Outra opção é utilizar pratinhos, talheres e copos estampados com os personagens que seu filho gosta, para descontrair ainda mais a mesa.

Não faça substituições

Está tudo bem se a criança não quiser almoçar ou jantar — ela pode estar realmente sem fome, portanto não devemos obrigá-la a comer. Contudo, para garantir a educação alimentar infantil é importante que as refeições não sejam substituídas por lanches ou doces. Na hora que ela estiver com fome, ofereça o mesmo prato.

Outra dica importante é não substituir um determinado alimento só porque a criança o recusou uma vez. Experimente diferentes formas de preparar a comida; a batata, por exemplo, pode ser feita cozida, ralada, em forma de purê, e de diversas outras maneiras. 

Seja o melhor exemplo para os seus filhos

Crianças em idade pré-escolar tendem a copiar tudo o que os pais fazem. A dica então é aproveitar esse comportamento e incentivar bons hábitos nas crianças. Não adianta obrigar seu filho a comer três porções de frutas diárias se você não ingere nenhuma, não é?

Outra dica é evitar comentários negativos sobre alimentos na frente dos pequenos, pois essa atitude pode influenciá-los a não comer mais determinado tipo de comida. As refeições devem, sempre que possível, ser feitas na companhia das crianças, para que elas vejam o quanto os pais gostam de verduras, legumes e frutas, e sigam seu exemplo.

Mantenha a hora da refeição como um momento em família, sem equipamentos eletrônicos

Todos devem sentar à mesa sem smartphones ou tablets, e a televisão e o videogame devem estar desligados. Esses equipamentos distraem demais as crianças, e faz com que elas não percebam o que estão comendo.

Isso pode até parecer uma boa ideia para crianças com dificuldade de comer, mas, na realidade, o cérebro não processa o que está sendo ingerido e até a absorção dos nutrientes é prejudicada. Aproveite o tempo das refeições para conversar com a família e saber como foi o dia de cada um. Esse momento também é importante para observar como e quanto seu filho está comendo.

Fazer uma alimentação balanceada e saudável não é uma tarefa fácil, mas com persistência e paciência é possível educar a alimentação de seus filhos! Tem alguma dica ou dúvida sobre educação alimentar infantil? Deixe-nos seu comentário — sua participação é muito importante para nós!

Voltar